Quem Sou




      Pouco importa quem sou, sou um servo que só deseja agradar ao seu Senhor, Esse sim tem valor para que O conheças e O ames cada vez mais. Todavia para esclarecimentos escrevo um pouco de mim.
      Sou Católico Apostólico Romano, fiel a Doutrina e à Tradição bimilenar da Santa Mãe Igreja — enriquecida pelos santos confessores, virgens e mártires. Busco viver a Sã Doutrina da verdadeira Igreja de Cristo que longe de tentar agradar aos homens vive como peregrina nessa terra e ainda sendo perseguida. “Se agradasse ainda aos homens, não seria servo de Cristo”1. Faço parte da Missão São Jorge de Araguatins-TO, assistida pelo Revmo. Pe. Ernesto Cardozo.
      Sou escravo inútil de Nosso Senhor Jesus Cristo pelas mãos da Santíssima Virgem Maria (pelo método de São Luís Maria), pois reconheço que sem a mediação da Mãe de Deus é impossível chegar até Ele, tão pouco é possível agrada-Lo, pois assim como Deus desceu do Céu por Maria para os homens, é por Ela que devemos subir até Ele. Maria é a Porta do Céu. E em união com São Tomás de Aquino posso afirmar: “Maria é toda a esperança de nossa salvação”. Sem ela não há como se chegar à Jesus. E ainda incentivado por Santo André Corsino reafirmo que “A menor oração à Mãe de Deus não fica sem resposta”, pois assim tem sido comigo e com todos aqueles que piedosamente se colocam sob sua proteção. De tudo que tenho, nada me foi dado senão pelas mãos virginais da Senhora dos Céus, ecônoma e tesoureira das graças celestes.
      Sou devoto desde a infância de São José, o esposo castíssimo de Maria Santíssima e pai adotivo de Nosso Senhor. A quem nunca pedi nada o qual não me fosse prontamente atendido. Esse glorioso Patriarca sempre em união com Nossa Senhora tem derramado muitas graças e milagres sobre esse servo. Aquele que o próprio Deus escolheu para ser pai adotivo do Verbo Encarnado é em suma o mais piedoso homem (depois de Nosso Senhor) que já pisou sob essa terra, sendo assim — com justo mérito — o Patrono Universal da Igreja e exemplo de obediência e castidade angélica.
      Sempre desejei presentear a Virgem Maria com algo, então lembrando que a Própria Senhora pede que seja conhecida pelo mundo – para que possa mediar junto ao Pai pelos pecadores – escolhi usar desse meio de comunicação para levar aos outros um pouco sobre Essa tão gloriosa Rainha. Não me restou dúvida quando pesquisando li o que São Bernardo escreve: “De Maria Santíssima nunca se escreverá demais”.

Minha Profissão de Fé:

Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra
De todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigénito de Deus,
nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro;
Gerado, não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E por nós, homens, e para nossa salvação
desceu dos céus

E encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria.
e Se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia,
conforme as Escrituras;
e subiu aos céus,
onde está sentado à direita do Pai.
De novo há-de vir em sua glória,
para julgar os vivos e os mortos;
e o seu reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo.
Senhor que dá a vida,
e procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho
é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos Profetas.

Creio na Igreja una, santa,
católica e apostólica.
Professo um só baptismo
Para remissão dos pecados.
E espero a ressurreição dos mortos,
e vida do mundo que há de vir. Amém



NOTA: Não faço parte da seita que nasceu com o Concílio Ecumênico Vaticano II. Nada tenho eu com essa religião nova que usurpou o nome da Igreja de Cristo.



1 BIBLIA, N. T. Epistola aos Gálatas. Português. Bíblia Sagrada. Versão segundo os textos originais, Pe. Matos Soares. 6ª ed.. Porto: TIP. SOCIEDADE DE PAPELARIA, LDA, 1956. Cap. 1, vers. 10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é eminentemente de caráter religioso e comentários que ofendam os princípios da fé católica não serão admitidos. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se garantem o direito de censurar.